Três suspeitos de explodir transportadora de valores na BA morrem em confronto com a polícia; fuzil é apreendido

whatsapp-image-2018-03-11-at-12.52.31 Três homens suspeitos de explodir a sede da transportadora de valores Prossegur e matar um vigilante, em Eunápolis, no extremo sul da Bahia, morreram em confronto com policiais militares na manhã deste domingo (11), em Porto Seguro. As informações são da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA).

Segundo a SSP, a ação ocorreu nas localidades do Mercado do Povo e Vila Parracho, onde os policiais encontraram, também, fuzil, uma metralhadora, explosivos, um revólver e munições.

A secretaria informou que os policiais chegaram até o local após uma denúncia anônima. Participaram da ação unidades do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Mata Atlântica, do Grupamento Aéreo (Graer) e do 8° Batalhão de Polícia Militar (BPM/Porto Seguro).

Segundo a SSP, os suspeitos foram cercados e atiraram contra os policiais, que revidaram. Três deles foram baleados. Eles foram socorridos e levados para um hospital, mas não resistiram aos ferimentos. Os outros dois conseguiram fugir por um matagal e ainda são procurados.

A secretaria afirmou que as buscas pelos demais integrantes do grupo continuam. Estima-se que cerca de 30 homens participaram da ação.

 CASOprosegur

A ação ocorreu na madrugada de terça-feira (6), na cidade de Eunápolis, no sul da Bahia. A sede da Prossegur ficou destruída. Segundo a empresa, os bandidos não conseguiram levar o dinheiro.

Durante o ataque, um vigilante foi morto e seis funcionários ficaram feridos com os escombros da explosão. Três vítimas foram transferidas para Salvador e os outras três continuam internados no Hospital Ames em Eunápolis.

A Defesa Civil do município interditou seis imóveis localizados nas proximidades da sede da empresa de valores Prosegur. Entre os imóveis estão três comerciais, um residencial, a entrada da garagem de um hotel e a própria sede da Prosegur.

No endereço residencial, dois moradores foram orientados a deixar o imóvel, que já estava à venda. Os donos dos estabelecimentos interditados devem fazer reformas nos imóveis para quem voltem a ser habitados.

Outros 39 imóveis que sofreram danos menos graves, como vidros quebrados e forros de gesso caídos, foram notificados pela Defesa Civil e não precisam ser desabitados.

Segundo a Defesa Civil, já foi iniciada desde a quarta-feira a demolição da sede da Prosegur. As operações da empresa foram retomadas em um novo endereço na cidade, mas a companhia afirma que essa mudança de localização já estava programada em função do aumento da demanda por serviços na região.ataque-eunapolis eunapolis-explode

Share